As mudanças comportamentais no varejo em 2021

As mudanças comportamentais no varejo em 2021.
As mudanças comportamentais no varejo em 2021.

Muitas análises sobre “o que vem de novo para o novo ano” auxiliam empresas a entenderem o rumo que seus clientes tomarão e como conectar-se ainda mais a eles. Decerto, no varejo não é diferente. As principais discussões, analises e conclusões giram em torno da alteração na cultura de compras dos consumidores por meio das vendas digitais. Além de, também, falar sobre como a experiência do usuário com o a embalagem e o produto são fundamentais nos dias atuais.

Em 2020, vimos o quanto o e-commerce se intensificou e, principalmente, como o isolamento social e a quarentena apressaram (ou, de certa forma, obrigaram) muitos negócios a tirarem seus planos de reorganização e inovação do papel “antes da hora”.

Leia também: Entenda a LGPD aplicada ao Smart Packaging

Mas, qual é o desafio do varejo agora?

Antes de mais nada, o que deve estar claro para qualquer negócio, independente do seu porte é que: adaptar-se aos meios digitais não é uma questão apenas de se preparar para a “próxima crise”. Trata-se de conectar-se as novas tendências mundiais de consumo.

Segundo o estudo “10 PRINCIPAIS TENDÊNCIAS GLOBAIS DE CONSUMO 2021” da Euromonitor International, o “Desejo por conveniência”, a “Obsessão por segurança” e a “Realidade Digital”, já é realidade para os clientes. Afinal, após praticamente um ano comprando online por meio de aplicativos e dispositivos móveis – e isso vai de roupas e sapatos, passando por alimentos, bebidas e, até, produtos de saúde e eletrônicos – já podemos notar que estas mudanças fazem parte do cotidiano do consumidor.

E o que isso significa? Bom, significa que, mesmo após a turbulência, o e-commerce ainda será uma opção viável para as compras. E, o que podemos afirmar com isso é que o ciclo da vida das lojas físicas não terminou, mas que ambas – digital e ‘analógico’ – irão coexistir em uma mesma estratégia de conexão com o seu público no varejo.

Porém, o que temos que ter em mente é que esta evolução despertará no consumidor uma nova habilidade e facilidade de compra. A habilidade em questão? Utilizar os dispositivos moveis para qualquer transação. A partir disso, o propósito das marcas deve se adaptar a essa nova realidade.

Leia também: Como será o Smart Packaging em 2021?

Experiência do usuário

Ao passo em que o consumidor não vê barreiras para a jornada, há a transformação da experiência de compra em algo imersivo. Um exemplo disso são as lojas-conceito. Atualmente, vemos muitas marcas usando o ambiente presencial como uma forma de promover uma experiência de imersão e contato único com o cliente. O digital complementa o processo ao promover um ambiente de compra 100% seguro.

Decerto, o mercado está mais concorrido e cada dia temos menos atenção do cliente para aquilo que realmente queremos transmitir. Por isso, é fundamental utilizar os novos recursos disponíveis para diferenciar o seu produto perante os demais. Falando desses recursos, por que não trazermos para pauta as “embalagens inteligentes”? Um estudo da Zendesk apontou que o usuário responde muito bem a essas iniciativas e que a maioria está disposta a pagar mais em troca de uma boa experiência. Além de estarem aptas a promover a conexão com o cliente, também trazem a segurança que o consumidor exigirá ainda mais neste ano.

Se quiser discutir mais sobre como as embalagens podem prepará-lo para suportar as novas tendências de seus clientes , entre em contato com a nossa equipe. O Smart Packaging é uma tecnologia viável para todo o tipo de negócio, principalmente a aqueles que desejam promover uma conexão única com o público.

O SINCPRESS desenvolve soluções de Smart Packaging para grandes empresas do varejo, com tecnologias de ponta que garantem a segurança e integridade os dados coletados.