Logística reversa: saiba como ela pode ajudar a sua empresa

Logística reversa
Ciclo da Logística Reversa

A logística reversa é o processo em que o consumidor devolve ao fabricante os resíduos descartáveis do produto utilizado para que seja descartado de forma correta.

Trata-se de uma prática prevista em lei, por meio da Política Nacional de Resíduos Sólidos determinada pela Lei n°12.305, de agosto de 2010. E mais do que isso, é um conceito diretamente relacionado à conservação do meio ambiente.

Quer saber o que é a logística reversa? Acompanhe o artigo até o final.

Leia também: Como o rótulo personalizado pode diferenciar a sua farmácia de manipulação!

O que é Logística Reversa?

O mercado global nota, diariamente, uma quantidade imensurável de produtos comercializados. Em meio a este movimento, é quase inevitável questionar o descarte e o destino das embalagens que armazenam muitos destes itens que são distribuídos. Afinal, com tantos compostos diferentes, cada um com o seu devido tempo de decomposição, entender como reduzir essa produção é fundamental.

Diante desse cenário, a logística reversa é uma solução eficiente que, felizmente, compõe a cadeia produtiva de muitas empresas de diversos setores da economia. Trata-se de um processo que cria um percurso para que o produto – sejam as sobras ou resíduos – volte à cadeia de suprimentos. Pelo menos, a uma etapa dela.

Este processo começa a partir de várias situações: seja porque o consumidor recebeu a mercadoria com defeito ou avarias; ou para o descarte adequado – como acontece, por exemplo, com cartuchos de impressora e medicamentos, por meio dos pontos de coleta deles.

Por que a Logística Reversa é importante?

Apesar de muito falado e, até mesmo, aplicado, ainda há pouca compreensão sobre os benefícios reais do processo de logística reversa. Decerto, ele é um dos principais recursos para garantir a eficiência produtiva das empresas e melhorar a experiência do cliente com o produto. Além disso, aplicar este conceito significa o cumprimento das normas determinadas pela Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Aqui vale destacar o Artigo 33, que pontua as obrigações dos fabricantes, distribuidores, comerciantes e importadores:

“São obrigados a estruturar e implementar sistemas de logística reversa, mediante retorno dos produtos após o uso pelo consumidor, de forma independente do serviço público de limpeza urbana e de manejo dos resíduos sólidos”.

Com isso, se torna responsabilidade legal das empresas, em todos os níveis da cadeia produtiva, investir em uma gestão ambiental responsável. Para colocar essa ideia em prática, uma companhia pode olhar para as seguintes frentes:

  • Garantir a reciclagem ou reuso, ao incorporar de volta os produtos na cadeia de produção;
  • Oferecer itens mais sustentáveis e/ou o descarte consciente;
  • Prevenir desperdícios e degradação do meio ambiente, por meio do consumo racional de materiais.

A logística reversa nas mãos do consumidor

Como vimos, uma das ações para implementar a logística reversa na cadeia produtiva é o descarte consciente dos produtos. E, para que o cliente cumpra com o seu papel, é necessário que ele seja informado, tanto da importância de fazer o descarte correto, quanto de como fazê-lo.

É aí que a embalagem do produto se torna o ponto chave para que as pontas fabricante-consumidor sejam conectadas. Afinal, de nada adianta a empresa investir em uma estratégia de logística reversa e o cliente não ter consciência da iniciativa.

Por isso, a importância de investir em tecnologias que transformam a embalagem. Antes ela tinha apenas três funções principais: Preservar, Proteger e Promover um item. Ao aplicar determinados recursos, é possível transformar o invólucro em uma Smart Packaging. Solução de embalagem inteligente e conectada que torna possível inserir informações pertinentes para que o usuário se informe sobre como fazer o descarte correto do produto depois que utilizá-lo.

Leia também: O que você precisa saber sobre serialização de medicamentos!

Tecnologias: QR Code

Considerada uma das tecnologias mais versáteis do Smart Packaging, o QR Code é uma das alternativas para a empresa que deseja se adequar a esta realidade. Isso porque, por meio do código inserido na embalagem, o consumidor faz a captura pela câmera do celular e ali mesmo, na tela, tem acesso a uma série de informações.

E neste conteúdo informativo é válido trazer mais sobre a história da empresa. Além da relação que está construindo com ações sustentáveis que respeitam o meio ambiente, a sociedade e conferem maior eficiência produtiva.

A serialização desses códigos bidimensionais pode trazer ainda mais vantagens, tanto para o consumidor, quanto para a empresa em si. Já que, ao interagir com o QR Code serializado, o cliente se identifica como único e traz suas preferências para a empresa. A partir daí, é possível oferecer experiências únicas e direcionadas a ele.

Este é um recurso muito utilizado e, praticamente, não interfere no layout da embalagem. Dessa maneira, além de impactar o cliente com cores e formas, também se torna um material rico de dados que visam melhorar a experiência de consumo que está cada dia mais pautada em sustentabilidade.

Agora que você já sabe o que é logística reversa, quer saber como aplica-la em suas embalagens e/ou produtos? A equipe do SINCPRESS tem especialistas que acompanham as tendências do mercado e vão te ajudar com uma consultoria para entender as suas necessidades e o que melhor funciona na sua operação. Entre em contato!